Médio Tejo “fica de caminho” este fim de semana

O Caminhos – programação cultural em rede – regressa para a sua terceira edição. Estão representados quatro países nos Caminhos do Ferro: Portugal, Espanha, Brasil e França.

Na sua terceira edição, o Caminhos, projeto de programação cultural em rede, promovido pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) e pelos 13 municípios associados, surge com uma imagem renovada e o primeiro ciclo, designado “Caminhos do Ferro”, acontece de 12 a 14 de abril, em Abrantes, Entroncamento, Tomar e Torres Novas.

Concertos de Mário Laginha e Pedro Burmester e do brasileiro Rubel (que tem a primeira grande tour em Portugal e já esgotou a Casa da Música e o Capitólio); dois teatros de rua com artistas internacionais (Amer i Àfrica e Soralino); e dois percursos artísticos (com Terceira Pessoa e Talkie Walkie com Manuel Tur) são as propostas para os “Caminhos do Ferro”, os primeiros a percorrer de três ciclos anuais do Caminhos. Uma das bandeiras é o acesso gratuito a toda a programação cultural.

Os espetáculos são limitados à lotação dos espaços. Para o concerto de Mário Laginha e Pedro Burmester em Tomar há levantamento antecipado de bilhetes. O procedimento para adquirir bilhetes para Rubel varia entre Abrantes, Entroncamento e Torres Novas. Todas as informações são atualizadas e disponibilizadas nos eventos na página oficial no Facebook.

Estão a ser preparados dois percursos artísticos com assinatura portuguesa: A Talkie Walkie com Manuel Tur fazem residência em Abrantes, nas Mouriscas, e o coletivo Terceira Pessoa inspira-se em Riachos, em Torres Novas. Estes percursos contam com vários horários ao longo do dia, de sexta a domingo.

De Espanha e França chegam dois teatros de rua com humor. O espetáculo “Inbox”, o segundo da companhia de circo francesa Soralino, é um dueto que equilibra caixas de cartão com humor. Já o espetáculo “Envà, da dupla espanhola Amer i Àfrica, junta 250kg de palha com 125kg de massa humana, em cerca de 40-50 minutos de divagação humorística sobre as peculiaridades das relações humanas.

Os portugueses Mário Laginha e Pedro Burmester reúnem-se às 21h30 de sábado, dia 13 de abril, no Cine Teatro Paraíso, em Tomar. Os dois pianistas com formação musical clássica cruzaram os seus caminhos há pouco mais de 20 anos, depois de enveredarem por carreiras diferentes, inspiradas em diferentes musicalidades. Do jazz às músicas do mundo no caso de Laginha e do repertório clássico a solo ou em orquestra no caso de Burmester.

No domingo à tarde é hora de rumar ao Entroncamento, para uma última oportunidade de assistir ao concerto de Rubel, cantor, compositor e cineasta carioca, com dois álbuns no currículo e um dos mais respeitados nomes da nova música brasileira.

Sobre o Caminhos:

O Caminhos é um projeto que se divide em três ciclos culturais de programação em rede no Médio Tejo, e que envolve 13 municípios. Estreou-se em 2017 com três caminhos a percorrer: os Caminhos do Ferro (abril), os Caminhos da Água (julho) e Caminhos da Pedra (outubro).

O Caminhos em 2019 tem o seguinte calendário: Caminhos do Ferro de 12 a 14 de abril; Caminhos da Água de 12 a 14 e 19 a 21 julho; e Caminhos da Pedra, de 11 a 13 e 18 a 20 outubro.

Os Caminhos do Ferro percorrem Abrantes, Entroncamento, Tomar e Torres Novas. Os Caminhos da Água mergulham em Abrantes, Alcanena, Constância, Ferreira do Zêzere, Mação, Vila Rei, e Vila Nova da Barquinha. Os Caminhos da Pedra esculpem-se no Entroncamento, Ourém, Sardoal, Sertã, Torres Novas, e Vila Nova da Barquinha.

Os grandes objetivos do Caminhos é gerar itinerância de públicos internos, com uma programação cultural diferenciadora, e aumentar o número de visitantes que experienciam, neste período, o território como um todo, como um roteiro turístico e cultural em rede.

Já trouxe ao Médio Tejo alguns dos artistas de maior renome nacional e internacional, com propostas irreverentes e emergentes no panorama atual.

É um projeto cofinanciado pelos programas Centro 2020, Portugal 2020 e pela União Europeia.

 

i